Abrace o derivado sobre Han Solo e não critique o filme antes da hora. Vai dar tudo certo, acredite!

0

Nós, fãs de Star Wars somos exigentes. Nós somos aquele chefe que aponta erros invisíveis em relatórios trabalhosos. Somos o arquiteto perfeccionista que passa horas e mais horas debruçado no seu projeto. Somos a cerimonialista competente que observa os mínimos detalhes para que um casamento seja perfeito.

Somos assim, exigentes, detalhistas. E se somos assim é porque o nosso coração bate mais forte que a razão. Somos, acima de tudo, apaixonados.

Ao mesmo tempo que somos exigentes, implacáveis, também somos mães. Mesmo quando não gostamos de algo que nos é apresentando, procuramos alguma coisa para depositar o nosso amor. Defendemos mesmo até o que não nos deixa completamente felizes.

Como amamos Star Wars, o nosso coração acaba sendo mole demais.

Então, quando um novo projeto da série é anunciado, colocamos logo em prática o nosso lado exigente, para que não tenhamos que amar, posteriormente, algo que possa nos decepcionar de alguma forma. No entanto, nesse disparo de perfeccionismo inicial, acabamos entrando em um funil de ansiedade e pessimismo.

“Tal ator foi anunciado para o papel”. Putz, esse cara vai arruinar a saga.

“O nome do filme será tal”. Putz, isso vai arruinar a franquia.

Sofremos muito por antecedência, somos céticos. E esse excesso nos faz ficar sempre “com um pé atrás”, mesmo quando já assistimos a um filme e vimos que ele é bom. Na verdade, ele nunca será perfeito o suficiente.

Bom, agora que já admitimos tudo isso, vamos fazer um exercício? Vamos respirar? Tipo meditação mesmo. Respira, respira, respira. E vamos aos fatos.

Quando Rogue One foi anunciado, o pessimismo foi geral. Quando a imprensa revelou que o projeto estava passando por refilmagens, o sentimento foi de procurar o bote mais próximo do Titanic. Agora, com a estreia do filme no último 15 de dezembro, os fãs parecem que estão dormindo com um cabide na boca todos os dias, tamanho é o sorriso. Ou seja, o filme foi bom. Mais do que isso, foi épico.

Sentimos medo? Sentimos. Sentimos desespero? Sentimos. Fomos pessimistas? Fomos. Erramos, no final das contas.

Então, vamos combinar uma coisa? Não vamos trilhar o mesmo caminho com o derivado de Han Solo. Tudo bem, entendemos que o personagem sempre será de Harrison Ford. Sabemos que o que ele fez, ninguém nunca poderá fazer.

Isso está claro.

Mas, vamos ser mais mães do que chefes? Vamos apostar todas as fichas no nosso filho, ao invés de apontar erros que ainda não existem? Já nos enganamos algumas vezes. Além disso, vamos combinar que é péssimo carregar uma angústia no peito enquanto o filme é preparado. Largue a angústia, seja feliz. Aposte que vai dar tudo certo, acredite que vai dar tudo certo.

Saiba que a Lucasfilm entende o que está fazendo. Saiba que existe um departamento INTEIRO pensando sobre o filme e sobre todo o universo da saga, bem agora enquanto você está lendo esse texto. Eles são tão fãs quanto a gente, eles cresceram assistindo os mesmos filmes que a gente. Eles foram os responsáveis por fazer de Rogue One um filme tão apaixonado pela própria saga. Eles estão pensando em cada milímetro das histórias do universo expandido.

Eu não quero sofrer por antecedência. E nem vou. Vou depositar a minha Força nessas pessoas que estão trabalhando dia a dia para que nós tenhamos as melhores experiências na saga que tanto amamos.

E se o filme de Han Solo for ruim? E se o filme de Han Solo manchar o meu personagem favorito? Bom, existe essa chance, não vou mentir. Se acontecer, aí poderemos acreditar. Digamos que as chances são 50/50: ele pode ser bom, ele pode ser ruim.

Eu vou ficar com a primeira hipótese. Eu vou acreditar nessa hipótese. Sugiro que você faça o mesmo.

Abrace esse projeto, acredite nele. Deixe de lado o pessimismo. ACREDITE que esse será mais um grande filme. Creia.

Afinal, você deve isso a Star Wars.

Que a Força esteja com todos nós.

Compartilhe

Sobre o autor

Yan Caetano é o criador e editor-chefe do site Frases de Star Wars.

Deixe seu comentário