General Grievous e sua formidável coleção de sabres de luz

0

Não foi apenas em Guardiões da Galáxia, filme da Marvel, que nos trouxe um personagem com uma coleção memorável, se bem que a coleção de Taneleer Tivan, O Colecionador, é esplêndida, pois o fato de manter elementos raros, perigosos e alguns deles ainda vivos em seu acervo como, por exemplo, um Chitauri, um Elfo Negro entre outros, é algo que merece o nosso respeito. Temos até o Howard, O Pato, mesmo personagem daquele filme de 1986, lembram? Para quem não sabe George Lucas contribuiu sendo o produtor executivo desse longa. Eu já ia me esquecendo, ainda há na coleção uma das peças mais cobiçadas do universo, como o Tesseract, esses e outros artefatos já bastariam para fazer da coleção de Tivan algo extremamente valioso. No entanto se embarcarmos numa Millennium Falcon da vida e irmos à galáxia mais distante do que a dos Guardiões, mais precisamente no universo de Star Wars, vamos descobrir outro colecionador que faria com que todos nós morrêssemos de inveja, é claro que estou falando do separatista, líder do Exército Droide, General Grievous e sua formidável coleção de sabres de luz dos Jedi que consegue matar.

Em A Vingança dos Sith não é mostrado muito da vida de Grievous além de ser um ciborgue com estrutura orgânica em seu exoesqueleto, porém não há dúvida que ele deve ter passado boa parte da vida caçando Jedi e os matando para roubar seus sabres. Em cena deletada de A Vingança dos Sith, por exemplo, Grievous mata a sangue-frio a mais nova Mestre Jedi consagrada no Conselho, Shaak Ti e, dependendo do grau de importância do Jedi que ele enfrenta, seu sabre ganha destaque na coleção, como foi também os de Anakin e Obi-Wan. Os arquivos de Star Wars nos informam que Grievous é um brilhante estrategista militar e, já que ele foi bem treinado nas artes Jedi por Conde Dookan, é natural que tenha sempre à mão um sabre ou até mesmo um blaster para caçar e matar os Jedi, assim ele rouba seus sabres para aumentar a coleção que, PASMEM, conta com quase 500 unidades. Repito: Grievous possui quase 500 sabres de luz em seu acervo particular alinhados numa prateleira ou em alguma estante robótica por aí, não apenas se restringindo em sua capa.

Imaginem se algum andarilho na galáxia encontrasse essas relíquias perdidas e pudesse abrir um museu com os sabres de luz de Grievous, seria algo fascinante. A maioria desses sabres Grievous adquiriu em meio às Guerras Clônicas em diversas batalhas ao redor da galáxia, provavelmente se ele tivesse os de Obi-Wan, Anakin, Mace Windu e Yoda, a coleção, quem sabe, seria bem mais valiosa. Há fãs em todo o mundo que colecionam todo o tipo de bugiganga relacionada a Star Wars, porém uma coleção de sabres de vários mestres e padawans é digna, no mínimo, para entrar no Livro dos Recordes. Por fim deixo um lembrete aos Jedi espalhados pela galáxia: tenham cuidado! Não é apenas a tosse seca de General Grievous que é assustadora, o fato de ter a chance de matar um Jedi usando suas próprias técnicas e ainda roubar seu sabre e expô-lo numa coleção é um tanto quanto ofensiva para o Conselho e invejável para os amantes colecionadores. Nem mesmo Taneleer Tivan, O Colecionador, conseguiria reunir tantos itens cobiçados assim. No entanto Grievous e Tivan tiveram perdas consideráveis e isso me faz pensar se realmente vale a pena tanto esforço para adquirir os objetos mais raros e valiosos do universo, se bem que no nosso mundo as pessoas têm gosto para tudo e não é diferente quando o assunto é colecionar coisas das mais cobiçadas às mais absurdas. Uma coisa é certa, acho melhor continuar com minha coleção de notas de dinheiro antigas e algum álbum de figurinhas talvez, e assim como Grievous e Tivan, tentar manter para a posteridade as minhas belezinhas de Star Wars e da Marvel.

Frase de Star Wars que não está em Star Wars:

“Finalmente, minha coleção está completa.” Por General Grievous

Compartilhe

Sobre o autor

Marcelo Mesquita é membro do Conselho Jedi do Rio de Janeiro e apaixonado por Star Wars.

Deixe seu comentário