Star Wars e seus planetas habitáveis

0

Em nosso sistema solar há planetas que até o momento o único que se tem notícia de que existe vida é a Terra, mesmo apesar da Nasa estudar continuamente o planeta Marte, a Terra é o único comprovadamente que existe vida. A não ser que eles já saibam que há vida marciana e por algum motivo qualquer, nós não fomos informados disso. Acho estranho que em pleno século XXI ainda não temos informações precisas de que não estamos totalmente sozinhos nesse universo, que, diga-se de passagem, tem bilhões e bilhões de planetas e estrelas espalhados por aí. Tudo bem que talvez não pudéssemos sobreviver em nenhum deles, já que precisamos respirar no mínimo oxigênio, e sabemos que até se formos futuramente colonizar Marte, a questão da respiração pode ser comprometida. Isso é diferente quando embarcamos numa galáxia muito distante. Em todo o universo de Star Wars mostrado nos filmes até agora, os personagens não têm, aparentemente, com o que se preocupar para respirar nos planetas, em nenhum deles há menção de que tipo de gás eles estão respirando, nem se o que eles estão respirando é, de fato, oxigênio.

No filme Avatar de James Cameron, por exemplo, quando as pessoas chegam ao planeta Pandora têm de usar uma máscara especial para que possam sobreviver respirando tranquilamente ao explorar o território, a não ser que você seja um avatar, nesse caso não vai precisar da máscara. O fato é que em todos os planetas da saga Star Wars cada um com sua característica própria, sua temperatura, suas formas de vida, tecnologia e tudo que ele possa oferecer, mesmo assim o problema da zona habitável não é uma constante. No entanto a água também é o componente principal para que possam classificar um planeta como habitável. Planetas gasosos dificilmente poderiam abrigar vida, Bespin, por exemplo, é um enorme planeta gasoso com cerca de 118.000 km de diâmetro, contém diversas camadas de atmosfera gasosa, porém a Cidade das Nuvens, administrada por Lando Calrissian, fica na órbita de Bespin extraindo gás Tibanna das profundezas do planeta além de ser uma importante colônia de mineração. Comparado a Júpiter que também é um imenso gasoso, composto por hidrogênio e hélio, jamais poderíamos construir algo como uma Cidade das Nuvens igual ao de Bespin, pois a gravidade de Júpiter é tão forte que nossa nave seria sugada e destruída ao chegarmos perto. Curiosamente isso faz de Júpiter o nosso filtro estelar natural atraindo, com sua enorme força gravitacional, asteróides e cometas que poderiam se chocar com a Terra.

George Lucas certa vez mencionou que Alderaan seria o único planeta da saga que se pareceria com a Terra do que qualquer outro. Alderaan tem uma rotação de 24 horas, ano de 365 dias, um diâmetro de 12.500 km, oceanos azuis, vasta vegetação, notou uma leve semelhança? Porém há planetas em Star Wars que podem ser comparados com alguns corpos celestes existentes em nosso universo. Tatooine seria Kepler 47c, na órbita desse planeta circunda duas estrelas ao mesmo tempo, o que permitiria contemplarmos um pôr do sol duplo. Mustafar seria CoRoT-7b (se escreve assim mesmo) e ele possui inúmeros vulcões ativos que liberam lava sem parar o tempo inteiro e está há 480 anos-luz da Terra. Hoth seria Enceladus, lua congelada de Saturno, seus vulcões cospem água ao invés de lava, que são subitamente congeladas antes mesmo de caírem em forma de cristais de gelo no chão. Geonosis seria Marte com seus cânions e desertos. Kamino seria Kepler 22b com sua superfície coberta de água, este planeta está em uma zona habitável há 600 anos-luz da Terra. Bespin seria Júpiter como um imenso gasoso e por aí vai. A verdade é que novos planetas nos serão apresentados com os lançamentos dos próximos filmes e spin-offs. Até lá continuaremos nossa viagem por Star Wars e descobriremos seus planetas habitáveis com suas diversas características, diferenças culturais e diversidades biológicas que nos fascinarão a ponto de tentarmos em nossa própria galáxia descobrir se realmente estamos sozinhos nesse universo.

Frase de Star Wars que não está em Star Wars:

“Não precisamos mais do planeta Alderaan.” Por Grand Moff Tarkin

Compartilhe

Sobre o autor

Marcelo Mesquita é membro do Conselho Jedi do Rio de Janeiro e apaixonado por Star Wars.

Deixe seu comentário